terça-feira, 1 de julho de 2014

... sobre as personagens...

"Somente quero demonstrar-lhe que nascemos para a vida de muitas maneiras e de muitas formas: como árvore ou pedra, como água, borboleta... ou como humano. Ou ainda até como personagem!"
 
[...] "O autor, uma vez nos tendo criado vivas (as personagens), não mais desejou, ou pôde, colocar-nos materialmente no mundo da arte. E isso foi um verdadeiro crime, pois aquele que tem a sorte de nascer personagem viva pode troçar até da morte. Nunca morrerá. O homem, o escritor, simples instrumento da criação pode morrer. A sua criatura jamais! E para viver eternamente não tem necessidade de dons extraordinários, nem de fazer prodígios. Quem foi Sancho Pança? Quem foi Don Abbondio? E porém são eternos, porque sendo gérmenes vivos, tiveram a fortuna de encontrar uma matriz fecunda, uma imaginação que soube erguê-los, amamentá-los, fazê-los viver para a eternidade!"

(in Seis Personagens À Procura de Um Autor, Luigi Pirandello)
 
 
 
 
 

Sem comentários: