sábado, 24 de janeiro de 2015

... em desafios...







Voltar à magia dos ensaios. Percebermos, no fundo, quem somos e o que queremos.
 
(Vejo-vos crescer, dia a dia.)
 
Ouvem-me.
 
(Atenção à dicção. O que quer a personagem aqui? Como resolve ela a situação em que se encontra?)
 
Vamos falando da justiça e da injustiça. Do quanto podemos ser como animais. Obrigam-nos as regras a seguir desejos, vontades. As Vontades. Fica a revolta perante a Morte. Sussurram-nos os Deuses perante os nossos Desafios. Ir ao encontro da Essência do Teatro. Sim, estamos de novo a trabalhar. E apercebemo-nos que faria sentido agora este texto.
 
De hybris feito.
Em hYbris sentido.

Sem comentários: